sexta-feira, 28 de junho de 2019

Seleção Brasileira é "presa fácil" de adversários, ainda que vencendo

Técnico Tite, diante de um microfone, dando entrevista coletiva
Daqui a poucos dias (6 de julho), estará fazendo um ano que o Brasil foi mandado de volta pra casa pela Bélgica, quando se despediu da Copa na Rússia em derrota de 2 X 1.

Copa da Rússia já revelava uma Seleção limitada taticamente


Vale lembrar que aquela Seleção (incluindo o técnico), saiu daqui com um alto grau de prestígio, apoio da torcida e da imprensa. O Brasil (como sempre), chegou como um dos "grandes favoritos". Mas, não contavam com a Copa do imponderável e do inimaginável: "pequenos" e "fracos" fazendo bonito, surpreendendo pela ousadia nas jogadas, pelo novo e pela audácia nas táticas aplicadas. Muitos "grandes" ficaram pelo caminho, carregando na bagagem o peso da mesmice.
Já naquela época faltava em Tite uma habilidade em reagir taticamente, principalmente diante de partidas difíceis e adversários bem armados. Ficava evidente que se tornava cada vez mais fácil "dar um nó" no Brasil. Enquanto isso, sobravam declarações e entrevistas teóricas, filosóficas, frases de efeitos.. por vezes, confesso, pensei estar não diante de um técnico, mas em uma palestra de autoajuda.